quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Fifa envia conjunto de normas para a Copa



Foi enviado hoje ao Congresso Nacional o Projeto de Lei Geral da Copa-- conjunto de normas que vai regulamentar as tomadas de decisão de eventos para o Mundial de 2014 entre a Fifa (Federação Internacional de Futebol) e a União.
Entre os temas a serem votados por deputados e senadores, está a regulação dos preços dos bilhetes para assistir aos jogos. O texto encaminhado ao Congresso determina que o preço seja fixado pela Fifa, que também ficará responsável pela venda.
Nesse cenário, o governo brasileiro não teria voz para decidir sobre o estabelecimento de meio-ingresso para estudantes, idosos e deficientes.
Uma análise feita pelo site "Congresso em Foco", mostra que os bilhetes para o Mundial devem custar entre R$ 150 e R$ 1.500. A variação seria determinada conforme a localização das cadeiras no estádio e a fase dos jogos.
Para um lugar com vista privilegiada nas oitavas-de-final, o torcedor poderá ter desembolsar R$ 350. Nas quartas ou na decisão do terceiro lugar, R$ 520; nas semifinais, R$ 1 mil—os preços divulgados pelo Congresso são calculados com base no método usado pela Fifa no Mundial da África do Sul, em 2010.
Ainda segundo o site, o Ministério dos Esportes e Fifa já finalizaram negociações e entregou à federação a definição de preços.

FERIADO
Ontem, o governo brasileiro confirmou que vai permitir que Estados, Distrito Federal e municípios e a própria União decretem feriado local nos dias de jogos da Copa do Mundo 2014 e da Copa das Confederações, em 2013.
O projeto cria uma legislação especial para regular também direitos comerciais da venda de produtos e imagens e exploração da publicidade nos eventos.
A exibição de jogos em bares e restaurantes será liberada, desde que não haja cobrança de ingresso nem exploração publicitária.

PROPAGANDA
O Projeto-Geral também exige que Fifa tenha exclusividade dos espaços nos estádios para divulgação de seus patrocínios. A União terá estabelecer uma norma para que os Estados, municípios e Distrito Federal não veiculem propagandas de empresas fora do contrato. A atividade deverá atingir comércio de rua tanto nos locais oficiais de competição, quanto nas suas imediações e principais vias de acesso.
A utilização indevida dos símbolos oficiais será punida com multas e penas de reclusão. Quem reproduzir, imitar ou falsificar indevidamente símbolos oficiais estará sujeito à multa ou pena de três meses a um ano de detenção.

Com Agência Brasil

Nenhum comentário: