sábado, 24 de setembro de 2011

67% dos brasileiros têm renda para comprar um imóvel, diz associação

O percentual deve aumentar por conta de mais dois milhões de moradias previstas na segunda fase do programa Minha Casa, Minha Vida até 2014
Nacional - Nos últimos cinco anos, a abrangência do mercado imobiliário brasileiro passou de 10% para 67% da população, percentual que deve aumentar por conta de mais dois milhões de moradias previstas na segunda fase do programa Minha Casa, Minha Vida até 2014, com foco nas faixas de zero a três salários mínimos.

O dado consta de pesquisa encomendada pela Associação dos Dirigentes do Mercado Imobiliário no Rio de Janeiro (Ademi-RJ), a qual, além de dados da entidade, colheu informações junto ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fundação Getúlio Vargas (FGVB) e os bancos comerciais.


Enquanto, em 2005 – destaca a pesquisa, a renda mensal básica para a compra de um imóvel era de R$ 4,5 mil, com a implantação do Minha Casa, Minha Vida, em 2009, caiu para R$ 1,4 mil, “incluindo 35,7 milhões de famílias na possibilidade de adquirir a casa própria”.


Crescimento do mercado imobiliário no Rio de Janeiro – Para efeito de projetar o mercado, a pesquisa menciona o crescimento de 30% no mercado imobiliário do Rio de Janeiro em 2010. Naquele ano, mais de 19 mil unidades foram lançadas, somente na capital; e ofertados outros 29 mil novos imóveis na Região Metropolitana (RMRJ), incluindo Niterói, São Gonçalo e a Baixada Fluminense.


O Presidente da Ademi-RJ, José Conde Caldas, acredita que em 2011 o número de lançamentos ocorridos no ano anterior deve ser facilmente ultrapassado. “Só no primeiro semestre de 2011 foram lançadas dez mil unidades na cidade do Rio de Janeiro. Acredito que chegaremos a mais de 25 mil novas unidades até o final do ano, somente na capital”, afirma Caldas.


Ainda de acordo com a pesquisa, entre 2009 e 2010 foi registrado um aumento de 25% no Valor Geral de Vendas (VGV) das unidades lançadas na cidade do Rio de Janeiro (em 2009, R$ 3,6 bilhões; em 2010, R$ 4,5 bilhões).


Somando as unidades lançadas na Região Metropolitana, o VGV de 2009 chegou a R$ 5,4 bilhões, e superou os R$ 6,6 bilhões em 2010. No primeiro semestre de 2011, o mercado imobiliário carioca movimentou R$ 2,4 bilhões, e outros R$ 3,3 bilhões na Região Metropolitana, com crescimentos de 62% e 32% sobre o primeiro semestre de 2010, respectivamente, assinala a pesquisa.


Com base no crescimento do setor em 2010, quando os financiamentos imobiliários alcançaram R$ 83,1 bilhões, contra R$ 49,6 bilhões em 2009, a pesquisa da Ademi-RJ projeta que, em âmbito nacional, o mercado imobiliário fechará 2011 com R$ 115 bilhões em crédito concedido para produção e compra de imóveis.


Fonte:
Exame

Nenhum comentário: