segunda-feira, 1 de agosto de 2011

É hora de modificar o câmbio


Desde o segundo Governo FHC, o país tomou a posição de deixar o câmbio flutuar livremente. Esta é uma decisão correta, dentro de parâmetros normais de mercado.

O câmbio flutuante deixa o Banco Central livre de certas responsabilidades externas, mas a realidade agora está mudando.

Com o dólar valendo R$ 1,55, decididamente estamos começando a vislumbrar o que chamamos de “doença holandesa”. Este é um termo que ficou conhecido quando a Holanda tornou-se grande exportadora de gás, valorizando muito sua moeda e desindustrializando o país.

No nosso caso, dois movimentos significativos de recepção de dólares se mostram presentes: dinheiro para aplicação em títulos públicos e venda de commodities no exterior. Isso sem falar na natural desvalorização do dólar nos últimos anos.

O Brasil está se transformando em um exportador de commodities, e isso não se mostra um fator de vantagem competitiva nacional. Com o real se apreciando fortemente, não sobrará muita coisa da indústria exportadora nacional nesse ritmo.

O que acontece é que com a entrada de dólares em excesso, o real tende a se valorizar ainda mais. Como a nossa indústria tem seus custos em reais e receita em dólares, vai ficando cada vez menos vantajoso exportar.

Alguns outros países acabam controlando seu câmbio, como forma de controle de capitais. A Noruega é o maior exemplo. Como tem receita de venda de petróleo, aproveita estes recursos para a formação de um grande fundo soberano e também importa bens direcionados ao aumento de produtividade.




Para termos uma ideia do problema, podemos ver o gráfico acima, com o percentual de participação das nossas exportações. Os manufaturados caíram só de um ano para o outro, de 32,87% para 28,81% da nossa pauta de exportações. A expectativa é que o deficit na balança comercial para este ano alcance US$ 50 bilhões só em manufaturados.

Isso porque ainda nem estamos falando de pré-sal.

Não há outra saída a não ser começar a discutir outra metodologia para o câmbio. Quando o mercado começa a nos regular de forma equivocada, é preciso alguma intervenção.


FONTE: http://acertodecontas.blog.br/economia/e-hora-de-modificar-o-cambio/#more-54479

Nenhum comentário: