quarta-feira, 11 de maio de 2011

Reforma do bem


 

Toda casa deveria ser ecológica, dizem os arquitetos especializados nessa área. E eles não estão falando de equipamentos caros e medidas complicadas.
Construir ou reformar uma casa que fique de bem com a natureza é muito mais simples do que se imagina. Basta partir de duas premissas: o conforto ambiental e a utilização racional dos recursos naturais.
Hoje, com o avanço da tecnologia e do conhecimento ambiental, já é possível com simplicidade fazer uma obra seguindo padrões ambientalmente corretos. È uma questão de escolha e também de responsabilidade com o meio ambiente e com o outro.  
Afinal, nossas atitudes arquitetônicas sempre irão afetar a natureza e a comunidade de alguma maneira. Se a obra gerar muito lixo, por exemplo, é por nossa causa que ele será produzido. Se escolhemos uma tinta à base de óleo, somos responsáveis pelos componentes voláteis espalhados na atmosfera. E por aí vai.
É por isso que cada vez mais pessoas optam pela construção sustentável.
Ainda que a escala seja relativamente pequena, já existem muitos profissionais no Brasil que trabalham para criar edificações ecológicas. Antes de decidir quais os materiais necessários e como a obra será feita, eles exercitam um precioso sentido: o olhar. Observam o lugar, analisam necessidades e definem soluções.
O resultado são casas ecologicamente corretas que utilizam a luz do sol para produzir energia, reaproveitam a água da chuva, reciclam o lixo, usam recursos naturais disponíveis na região de cada obra, e ainda tiram proveito da luz e ventilação naturais.
Quando resolveu fazer uma obra em sua casa no bairro da Urca (RJ), a arquiteta Alexandra Lichtenberg fez questão de trazer os princípios sustentáveis para a reforma.
Para driblar o sol forte e diminuir a temperatura interna em cerca de 10 graus, o telhado foi substituído por uma laje com grama e a fachada ganhou uma treliça com trepadeira. O ar que circula entre essa estrutura e a alvenaria é empurrado para cima, fazendo entrar menos calor na casa. A reciclagem também teve peso na obra.
“Reaproveitei os tijolos das paredes que derrubei e usei-os nas que levantei”, conta Alexandra.
O casal Cecília e André Sobanski também conseguiu construir a casa sustentável de seus sonhos. A fim de economizar o máximo de energia elétrica durante o dia, grandes janelas de vidro oferecem generosa iluminação natural. Basculantes acima das janelas garantem a circulação de ar, abolindo o ar-condicionado na quente Sorocaba, no interior de São Paulo. A casa ainda tem equipamentos para captação de chuva e aquecimento solar.
“Uma construção sustentável reúne tudo o que é preciso para um viver ecológico. Leva em conta o clima, a geologia e a biologia, além dos parâmetros de engenharia e arquitetura ideais para aquele local”, explica Márcio Araújo, consultor do Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica, o Idhea.

Fonte: Vida Simples / Planeta Sustentável

Nenhum comentário: