domingo, 15 de maio de 2011

Cuiabá - Na mesma moeda!


O Protesto na mesma moeda promovido por um grupo de consumidores inconformados com o preço dos combustíveis serviu para que donos de postos também manifestassem o problema dos impostos que incidem sobre os produtos.


A iniciativa do consumidor Evertom Almeida da Silva foi inspirado por uma ação nacional em que os clientes abastecem o equivalente a R$ 0,50 de combustível, paga com uma nota de R$ 50 ou R$ 100 e exige a nota fiscal. Representantes do Sindipetróleo aproveitaram a oportunidade para expor a composição do preço dos combustíveis. De acordo com o diretor do sindicato, Bruno Borges, a maior parte do que o consumidor paga é referente a impostos cobrados pelo governo.

FONTE: GAZETA DIGITAL



E como foi efetivamente o protesto de ontem?

Foi uma manifestação pacífica, aliás, como foi o planejado desde o início conforme informações jogadas nas redes sociais Orkut e Facebook, embora já estivessem nos esperando com 2 viaturas de polícia.

Mas, apesar de tudo, não houveram reações negativas de ambas as partes.

Fizemos o combinado sobre o valor do abastecimento e a nota fiscal, e como já estavam preparados, também tentaram "rebater" dando o troco em moeda.

Sem problema algum, pois não tiramos o carro da frente da bomba enquanto o troco não tivesse sido devidamente conferido. O que, de certa forma, contribuiu para o protesto.

E mais, "representante do Sindipetróleo avisou que só emitiria o documento se fosse fornecido a ele o título de eleitor, comprovante de residência, RG e CPF. O manifestante, um advogado, falou que nem em eleições o TRE exige o título. " ( Fonte: Hipernotícias )

Contrapondo os mil e tantos confirmados no Facebook, tivemos a presença de 30 pessoas! O que não fez com que o protesto não se iniciasse ou parasse. Foi concluído com êxito e conseguimos chamar a atenção do Sindipetrólio/MT.

Reiteramos que sabemos que os postos de combustível não são os únicos responsaveis pelo preço final da gasolina, mas são os mais próximos de nós consumidores. E o protesto foi a nossa tentativa de chamar atenção do poder público para a insatisfação diante dos altos preços praticados, bem como buscar pressionar afim de que sejam diminuidos.

Parece haver uma tendência de diminuição do preço da gasolina, embora ainda não conseguimos enxergá-la nos preços praticados pelos postos.
Fiquemos de olho e qualquer coisa, a gente volta! Com mais carros! É ou não é?

Até mais.


Obs.:
Segue uma cobertura interessante que a Globo fez do Manifesto Na Mesma Moeda essa semana:

Nenhum comentário: